26 Outubro de 2020 | 12h10

TAXA DE LETALIDADE É DE 2.8 POR CENTO

Angola regista maior número de casos positivos desde Março

O país registou 355 novas infecções nas últimas 24 horas. Este número ultrapassou todos os registados diários desde o início da pandemia até ao momento.

Em Luanda estão 261 casos nas localidades de Viana, Maianga, Ingombota, Belas, Kilamba Kiaxi, Sambizanga, Samba, Icolo e Bengo, Cazenga, Cacuaco, Talatona e Rangel. Na Huíla existem 52, no Cunene 19, no Cuanza Norte 15, sete em Cabinda e um no Huambo. As suas idades variam entre dois meses e 88 anos, sendo 224 do sexo masculino e 131 do sexo feminino.

No mesmo dia, as autoridades sanitárias também registaram em Luanda uma morte por COVID-19 de uma angolana de 65 anos, e 47 pacientes recuperados, com idades entre os dois e 68 anos, segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, neste domingo, 25, no ponto informativo sobre esta pandemia. 

O quadro epidemiológico do país apresenta 9.381 casos positivos, dos quais 268 óbitos, 3.508 recuperados e 5.605 activos. Entre os activos, 11 estão críticos, 22 graves, 123 moderados, 397 leves e 5.052 assintomáticos.

Os centros de tratamento estão a acompanhar 553 pacientes e 4.071 casos contactos directos e ocasionais dos casos positivos estão sob vigilância epidemiológica.

Os laboratórios processaram 2.498 amostras e deste número 355 foram positivas. O registo acumulado é de 144.583 amostras processadas, das quais 9.381 positivas.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 104 chamadas para pedidos de informação relacionada à COVID-19 e os centros de quarentena institucional acolhem 131 pessoas.

A equipa de saúde mental e de intervenção psico-social assistiu 23 pessoas, das quais 15 utentes, oito profissionais de saúde. No mesmo dia, também foram assistidas 18 famílias e 35 pessoas receberam apoio psicológico pelas linhas 144 e 145.

Franco Mufinda informou que o país tem uma taxa de positividade 6.5 por cento e de letalidade de 2.8 por cento. A nível do mundo essa taxa é de 3.2 por cento e em África é de 2.4 por cento. 

Desde o início da pandemia até à data, Luanda tem mais casos a nível do país e regista neste momento 8.097 casos, dos quais 4.694 activos, 3.167 e 236 óbitos.

A província do Bengo tem um total de 18 casos, dos quais oito activos, oito recuperados e dois óbitos; Benguela 194 casos, 130 activos, 53 recuperados e 11 óbitos; Bié 32 casos e todos recuperados; Cabinda 236 casos, 210 activos, 25 recuperados e um óbito; Cuando Cubango seis casos, quatro activos, dois óbitos e nenhum recuperado.

A província do Cuanza Norte regista 53 casos, sendo 26 activos, 26 recuperados e um óbito; Cuanza Sul 23 casos, 16 activos, cinco recuperados e dois óbitos; Cunene 66 casos, 63 activos e três recuperados; Huambo 62 casos, nove activos, 51 recuperados e dois óbitos; Huíla 242 casos, 227 activos, seis recuperados e nove óbitos.

Lunda Norte teve um caso que já está recuperado, Lunda Sul sete casos, entre os quais seis activos e um recuperado, Malanje 39 casos, 38 activos e um recuperado; Moxico cinco casos e todos recuperados; Namibe 36 casos, sendo 35 activos e um óbito; Uíge 41 casos, 39 activos, um recuperado e um óbito; Zaire 223 casos, dos quais 100 activos e 123 recuperados.

Em sete dias, o país registou 1.759 casos novos, dos quais 1.260 activos, 478 pacientes recuperados e 21 óbitos. A taxa de positividade passou de 5.7 por cento para 6.5, e a taxa de letalidade de 3.2 por cento para 2.8.