18 Novembro de 2020 | 12h11

TAXA DE LETALIDADE DIMINUI 0.1 POR CENTO

País com mais quatro óbitos e 203 novas infecções

As autoridades sanitárias anunciaram nesta terça-feira, 17 de Novembro a morte de mais quatro cidadãos angolanos de 34, 52, 58 e 72 anos, por COVID-19, três do sexo masculino e um feminino, nas províncias de Luanda, Malanje, Cunene e Huambo.

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, na sessão de actualização de dados da COVID-19 no país das últimas 24 horas, disse que foram também registados 203 novos casos positivos e 59 pacientes recuperados da pandemia.

Entre os novos casos, 50 estão na província do Cuanza Norte, 11 no Cuando Cubango, 10 no Huambo, nove em Benguela, quatro no Bié e 119 em Luanda, nas localidades de Belas, Cazenga, Kilamba Kiaxi, Maianga, Ingombota, Sambizanga, Samba e Viana. Deste grupo, 136 são do sexo masculino e 67 do sexo feminino, com idades entre 11 meses e 70 anos.

Quanto aos pacientes recuperados, 30 encontram-se na província do Uíge, 12 em Luanda e 17 no Cunene.

Angola passa a ter um registo de 13. 818 casos, dos quais 328 óbitos, 6. 582 recuperados e 6.908 activos. Entre os activos, nove estão críticos com ventilação mecânica invasiva, 10 graves, 187 moderados, 393 com sintomas leves e 6.309 assintomáticos.

As autoridades sanitárias estão a seguir 504 pacientes internados nos centros de tratamento no país, 4.274 contactos directos e indirectos dos casos positivos e 387 pessoas nos centros de quarentena institucional, que nas últimas 24 horas deram alta a sete pessoas, sendo três em Luanda e quatro no Bengo.

Nas últimas 24 horas, os laboratórios processaram 2.879 amostras por RT-PCR, das quais 203 positivas. O registo acumulado de amostras processadas até à data é de 198.428, das quais 13.818 positivas, correspondente a uma taxa de positividade diária de sete por cento e uma taxa cumulativa de positividade de 6.9 por cento.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 70 de chamadas para pedidos de informação sobre a COVID-19 e a equipa de saúde mental e de intervenção psico-social atendeu 99 chamadas pelas linhas de apoio psicológico.

Do dia 10 a 17 do corrente mês, Franco Mufinda disse os casos positivos aumentaram de 12.816 para 13. 818. No mesmo período, os óbitos passaram de 308 para 328; os pacientes recuperados de 6.036 para 6.582 e os casos activos subiram de 6.472 para 6.908.

Para o secretário de Estado, o aspecto positivo foi a baixa de letalidade que passou de 2.4 para 2.3 por cento, uma diminuição de 0.1 por cento.