Governo
15 Setembro de 2021 | 18h09

SOLUÇÃO HABITACIONAL

PRESIDENTE DA REPÚBLICA DEFENDE AUTO-CONSTRUÇÃO DIRIGIDA

A grande solução, em termos de habitação, para a maioria da população angolana, é a auto construção dirigida, na visão do Presidente da República, João Lourenço.

Em declarações à imprensa nesta quarta-feira, 15 de Setembro, no final da visita de dois dias à província do Cuanza Norte, João Lourenço disse que ao Estado cabe a responsabilidade de infra-estruturar os terrenos, garantir água e energia, e estabelecer incentivos para que os cidadãos construam a própria residência.

Ontem, primeiro dia da sua visita ao Cuanza Norte, João Lourenço entregou chaves de duas residências no projecto habitacional Quilómetro 11, na cidade de Ndalatando, das 12 concluídas até ao momento.

Mas, seu ponto de vista, a solução do problema habitacional em Angola não passa exclusivamente pela construção de centralidades.

"Esta ilusão de que as centralidades é que vão resolver o problema habitacional, que fique para atrás. A grande solução para a maioria da população angolana, em termos de habitação, é sem sombras de dúvidas a auto-construção dirigida. É o que estamos a ver precisamente aqui neste local”, reiterou.

O Presidente da República destacou a importância dos governos provinciais tomarem iniciativas de identificar espaços para a auto-construção dirigida.

"É evidente que haverá casas no mercado, não só vendidas pelo Estado, como também por agentes privados que se dedicam a imobiliária. Portanto, tem de haver habitação para todos, e habitação para todos é a construção massiva neste modelo de auto-construção dirigida. Esperamos que outros governos provinciais tomem também iniciativa de identificar espaços para a auto-construção dirigida”.

João Lourenço apelou à  população a construir as suas residências em zonas seguras.

Ao governo provincial, pediu para não deixar que a construção seja feita nas linhas de água, de baixo de linhas de alta tensão, em encostas de morros, que no tempo chuvoso com o aluimento de terras acabam por provocar desgraças.

"A forma de evitar que isso aconteça é oferecer-se à população esta alternativa da construção dirigida em terrenos minimamente infraestruturados que tenham o essencial, que é sobretudo energia e água”.

O Presidente da República deixou Cuanza Norte na tarde hoje e já se encontra em Luanda, para dar seguimento a sua agenda de trabalho no Palácio Presidencial.