Saúde
26 Setembro de 2020 | 10h09 - Actualizado em 26 Setembro de 2020

RECUPERADOS 51 PACIENTES

Mais cinco óbitos e 115 novas infecções em 24 horas

A COVID-19 causou a morte de cinco pessoas, afectou mais 115 e 51 ficaram recuperadas desta doença nas últimas 24 horas. 

As vítimas mortais são angolanas, quatro registadas em Luanda e uma no Cuando Cubango, sendo três do sexo masculino e duas do sexo feminino, de 37, 41, 44, 47 e 60 anos, respectivamente.

O grupo dos novos infectados inclui 10 do Huambo, quatro de Benguela, um do Zaire, um do Cuando Cubango e 99 de Luanda, residentes nas localidades de Belas, Rangel, Ingombota, Kilamba Kiaxi, Cacuaco, Viana, Samba, Talatona e Cazenga, dos quais  77 do sexo masculino e 38 do sexo feminino, com idades entre os quatro e 88 anos.

De acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, na actualização dos dados da COVID-19, o país contabiliza 4.590 casos positivos, dos quais 167 óbitos, 1.554 recuperados e 2.869 activos. Entre os activos, 17 estão críticos, 20 graves, 35  moderados, 84 com sintomas leves e 2.713 assintomáticos.

Os centros de tratamento acompanham 461 pacientes em todo o país. Os centros de quarentena institucional controlam 684 pessoas e registaram a saída de 44, sendo 37 em Luanda, quatro no Bengo e três em Malanje. As autoridades sanitárias controlam igualmente 5.903 contactos directos e ocasionais dos casos positivos.

Nas últimas 24 horas, foram processadas 1.734 amostras, das quais 115 com resultado positivo, totalizando até à data 83.403 amostras processadas, sendo 4.590 positivas.

A equipa de saúde mental e de intervenção psico-social assistiu 262 pessoas, das quais 116 utentes, 146 técnicos de saúde e 84 familiares de utentes. As linhas de apoio psicológico 145 e 146 prestaram assistência a 35 pessoas.

O Centro Integrado de Segurança Pública  (CISP) recebeu 153 chamadas, das quais uma denúncia de violação de medidas do Estado de Calamidade Pública e 152 pedidos de informação relacionada à COVID-19.

Nesta sexta-feira, teve início a testagem do corpo docente e não docente da Universidade Agostinho Neto, que resultou na colheita de 580 amostras.