Saúde
23 Fevereiro de 2021 | 09h02

RECUPERADOS 177 PACIENTES

Angola regista mais 29 casos positivos

Nas últimas 24 horas, as autoridades sanitárias diagnosticaram 29 casos positivos de COVID-19, subindo para 20.548 o total de casos confirmados desde o início da pandemia no país. 

Dos 20. 548 casos confirmados, 859 estão activos, dos quais três em estado crítico, dez graves, 40 moderados, 44 leves e 762 assintomáticos. Nos centros de tratamento estão internados 97 pacientes. 
 
O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, na sessão de actualizacão dos dados da COVID-19 desta segunda-feira, 22 de Fevereiro, disse que a província de Luanda registou 15 infectados, Cabinda  e Zaire seis, Huíla e Lunda Sul um cada. Estes estão na faixa etária dos 14 aos 65 anos, sendo 18 do sexo masculino e 11 do sexo feminino. 

As localidades mais acometidas em Luanda são Belas, Ingombota, Maianga, Sambizanga e Talatona.


Franco Mufinda informou ainda que ficaram recuperados 177 pacientes no mesmo período, perfazendo 19.190 pessoas livres da pandemia. 

Dos recuperados, o maior número foi registado em Luanda, com 114, 44 no Huambo, 12 em Benguela, cinco no Bié e um na Lunda Norte e Zaire, respectivamente. As idades variam de oito meses a 77 anos.  

Nas últimas 24 horas, não houve  mortes por COVID-19, mantendo-se o total de 499 registadas pelas autoridades.
 
Os laboratórios examinaram 1.036 amostras por RT-PCR, das quais 29 foram positivas, resultando numa taxa de positividade diária de 2.8 por cento. O cumulativo das amostras processadas é de 387.507, dando uma taxa de positividade de 5.3 por cento.
 
Relativamente à quarentena institucional, duas pessoas tiveram alta na província de Benguela e 49 continuam nos centros. Encontram-se sob vigilância epidemiológica 1.583 contactos de casos positivos.
 
O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) atendeu 26 chamadas para pedidos de informação sobre a COVID-19 e a equipa de saúde mental e de intervenção psico-social, prestou apoio psicológico a 32 pessoas, através das linhas de atendimento para o efeito.
 
Nos pontos de entrada e saída da província de Luanda 687 cidadãos foram testados, dos quais 568 do sexo masculino e 119 do sexo feminino. Deste grupo, 43 testaram reactivo, mas tiveram resultado negativo no exame antígeno.
 
Até ao momento, 13.725 passageiros foram testados após ao desembarque, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, sendo 3.696 do sexo feminino e 10.029 do sexo masculino.
 
Entre estes passageiros, 41 testaram positivo, dos quais 15 do sexo feminino e 26 do sexo masculino, com idades entre um e 91 anos. 

Quanto à nacionalidade, 18 são angolanos, três brasileiros, um britânico, um francês, um israelita, um moçambicano, dois nigerianos, um sul-africano, um costa-marfinense, um mauritaniano, um santomense um indiano, um maliano, dois somali, quatro tanzanianos e um etíope.
 
Da África dos Sul veio um infectado, Alemanha três, Brasil dois, Congo Brazzaville um, Dubai cinco, França dois, Moçambique quatro, Portugal nove, São-tomé dois, Mauritânia dois, EUA um, Turquia um, Máli um, Somália dois, Tanzânia quatro e Etiópia um caso.
 
Até ao momento, 26 dos 41 passageiros que testaram positivos tiveram alta epidemiológica depois de obterem dois resultados negativos de RT-PCR.
 
O secretário de Estado reforçou o apelo para o cumprimento das medidas de prevenção e combate à doença, pois "a COVID-19 é uma doença de responsabilidade individual e colectiva”.