Saúde
06 Abril de 2021 | 10h04

MINISTRA DA SAÚDE NEGA EXISTÊNCIA DE VARIANTE ANGOLANA DO VÍRUS DA COVID-19

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, desmentiu a existência de uma variante angolana do vírus da COVID-19 no país.

Porém, confirmou a detecção de uma nova variante inglesa em Angola durante o processo de testagem pós- embarque dos passageiros de voos internacionais.

Na conferência de imprensa para actualização dos dados da COVID-19 no país, realizada nesta segunda- feira 5 de Abril, Sílvia Lutucuta fez estes esclarecimentos e manifestou preocupação com o aumento de casos nos últimos dias, em especial em Luanda, afectando crianças, adolescentes e jovens e até provocando a sua morte.

"O nosso laboratório de Viana recebeu recentemente reagentes capazes de detectar as novas estirpes inglesas e nos últimos três dias foram detectados 64 casos da nova variante inglesa”, disse a ministra, alertando que a maioria destes pacientes não viajaram, bem tiveram contacto com viajantes. As suas amostras foram recolhidas em hospitais sentinela, que são os hospitais nacionais, incluindo o pediátrico.

"O que significa que já a circulação da estirpe inglesa em Luanda, declarou.

Outra grande preocupação manifestada pela ministra da Saúde é o incumprimento das medidas plasmadas no Decreto sobre a Situação de Calamidade Pública.

Sílvia Lutucuta afirmou que a COVID -19 ainda não desapareceu e que o aumento pode estar associado ao aumento da capacidade técnica em biologia molecular e genotipagem, pelo que apela à população, sobretudo os grupos de risco, a continuar a acatar as medidas de biossegurança, para se evitar a segunda vaga da doença no país.