Saúde
28 Setembro de 2020 | 08h09

MAIS RECUPERADOS E MENOS INFECÇÕES

Luanda regista três óbitos nas últimas 24 horas

A província de Luanda registou três óbitos por COVID-19 nas últimas 24 horas. Os falecidos são cidadãos nacionais de 40, 45 e 62 anos: dois do sexo masculino e um do sexo feminino.

Além das mortes, as autoridades sanitárias notificaram 46 casos positivos, dos quais um na província do Bengo e os restantes em Luanda, nas localidades de Viana, Kilamba Kiaxi, Talatona, Maianga, Belas e Ingombota, Cazenga e Cacuaco. Neste grupo de infectados, composto por 28 homens e 18 mulheres, há uma criança de dois anos.

Nas últimas 24 horas, registou-se também 68 pacientes recuperados, sendo 11 na província do Cuanza Norte e 57 em Luanda. 

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, informou neste domingo, 27 de Setembro, que o gráfico epidemiológico da COVID-19 no país regista até ao momento 4.718 casos confirmados, dos quais 174 óbitos, 1.707 recuperados e 2.837 activos, sendo 13 críticos com ventilação mecânica invasiva, 15 graves, 37 moderados, 94 com sintomas leves e 2.678 assintomáticos.

Nos laboratórios de testagem, os técnicos detectaram 46 exames positivos, num grupo de 1.596 amostras colhidas e processadas na base da biologia molecular. Desde o início da pandemia no país, já foram processadas 86.809 amostras na base da biologia molecular e mais de 160 mil testes rápidos.

Nos centros de tratamento a nível do país estão 484 doentes e três tiveram alta na província do Cunene. A cumprir a quarentena institucional estão 669 pessoas e 5.903 contactos directos e ocasionais dos casos positivos sob vigilância epidemiológica.

A equipa de saúde mental e de intervenção psico-social atendeu 197 pessoas, sendo 40 utentes, 157 técnicos de saúde e 42 famílias de utentes durante e depois do tratamento.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) atendeu 36 chamadas, sendo duas denúncias de casos suspeitos e 34 pedidos de informação sobre a  pandemia.

No mapa estatístico, Luanda continua a ser o epicentro da pandemia no país com 91 por cento dos casos confirmados, correspondente a 4.312 infectados. Segue-se a província do Zaire com 116 Cabinda com 103, Benguela regista 62 e o Cuanza Norte 26 infectados.

Relativamente aos óbitos, a província de Luanda lidera a estatística com 161 casos, Benguela tem três, Bengo e Cuanza Norte dois.

A taxa de letalidade do país baixou de 3.8 por cento para 3.6. A província do Cuando Cubango conta com uma taxa de letalidade de 100 por cento ao registar dois casos positivos e igual número de mortes. Malanje, Lunda Norte e Uíge têm zero por cento, ou seja uma taxa de letalidade nula.

O secretário de Estado deu a conhecer ainda que o continente africano tem uma taxa de mortalidade de 2.4 por cento e o mundo de  3.2.

"Angola não está tão distante da média mundial. Acima figuram outros países com uma taxa de letalidade de 12 por cento, superior a nossa que é de 3.6 por cento”, assinalou.

Quanto à estatística dos casos recuperados, Luanda contabiliza 1.564, o maior número de recuperados, Zaire 69, Huambo e Cuanza Norte recuperaram 24 pacientes e Benguela 10.  Até ao momento, Moxico e Lunda Sul não recuperaram nenhum paciente. A nível do país a taxa de recuperação é de 36 por cento.

Em todo o território nacional prosseguem acções formativas para técnicos de saúde em matéria de biossegurança, gestão de casos de COVID-19, sensibilização em comunidades sobre as medidas de prevenção, e testagem de passageiros nos aeroportos domésticos e na Escola Nacional de Saúde Pública para os viajantes por via terrestre.

Franco Mufinda reiterou o apelo para o cumprimento das medidas de prevenção e combate à pandemia, lembrando que a "COVID-19 é um problema de responsabilidade individual e colectiva”.