Saúde
16 Janeiro de 2021 | 09h01

MAIS 112 PACIENTES RECUPERADOS

País regista duas mortes e 66 casos positivos

O país registou três óbitos por COVID-19, 112 pacientes recuperados e 66 novos casos positivos nas últimas 24 horas.

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, na sessão de actualização de dados da COVID-19 desta sexta-feira, 15 de Janeiro, informou que os falecidos são angolanos de 47, 63 e 90 anos. Dois residiam na província do Huambo e um no Uíge.

Quanto aos 112 pacientes recuperados da COVID-19, com idades entre sete e 76 anos, 85 estão na província do Cuanza Norte, 20 em Luanda, três no Cuanza Sul, igual número na província do Huambo e um paciente na província do Zaire.  

Dos novos infectados, 43 são do sexo masculino e 23 do sexo feminino, com idades entre um mês de vida e 90 anos. Deste número, 34 estão em Luanda, 10 no Huambo, sete em Benguela, seis no Zaire, quatro em Cabinda, dois no Uíge, igual número no  Bié e um no Moxico.

Os casos positivos da província de Luanda foram identificados no Cazenga, Belas, Ingombota, Kilamba Kiaxi, Maianga, Samba, Sambizanga, Talatona  e Viana.

Com os dados das últimas 24 horas, Angola passa a ter 18.679 casos confirmados, dos quais 2.131 activos, 428 óbitos e 16.120 recuperados. Entre os activos, 13 estão críticos, oito graves, 83 moderados, 99 leves e 1.933 assintomáticos.

A nível do país, 197 pacientes recebem tratamento, menos um em comparação ao último balanço.

As autoridades sanitárias registaram três altas nos centros de quarentena institucional, sendo duas no Bié e uma no Namibe.

Nas últimas 24 horas, os laboratórios processaram 1.809 amostras, das quais 66 positivas e 1.743 negativas, com uma taxa de positividade de 3,6 por cento.

O país conta com 331.175 amostras processadas, sendo 18.679 positivas e 312.496 negativas, remetendo desta forma a uma taxa de positividade 5.6 por cento.

A equipa de saúde mental e de intervenção psicossocial assistiu 44 pessoas através das linhas telefónicas de apoio psicológico.

Por sua vez, o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 77 chamadas para pedidos de informação sobre a COVID-19.

Franco Mufinda apelou, uma vez mais, para o cumprimento das medidas de prevenção, como uso o uso da máscara facial, lavagem das mãos com água e sabão e o distanciamento físico. Os cidadãos também devem evitar as aglomerações populacionais e as violações das cercas sanitárias, e nunca discriminar as pessoas infectadas com o vírus SAR-COV-2.