Saúde
12 Setembro de 2020 | 09h09

Inaugurado maior Centro de Diagnóstico

Angola regista 125 novas infecções em 24 horas

Mais 125 pessoas foram infectadas pelo vírus do Sars-Cov-2, o maior número registado em 24 horas.

Destes novos infectados, 118 são da província de Luanda, residentes nas localidades da Maianga, Viana, Ingombota, Samba, Kilamba Kiaxi, Cacuaco, Rangel e Talatona; cinco da província de Cabinda e dois da Lunda Norte. 61 são do sexo masculino e 64 do sexo feminino, com  idades entre um e 79 anos. 

As autoridades sanitárias registaram igualmente quatro mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas. Todos são cidadãos angolanos, sendo dois do sexo masculino e igual número do sexo feminino, com idades entre 31 e 79 anos. 

No mesmo período, 32 pacientes ficaram recuperados da doença, sendo 23 na província do Zaire, oito em Cabinda e um em Luanda, indicou o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, nesta quinta-feira, 10 de Setembro, no ponto informativo sobre pandemia. 

Para evitar o crescimento exponencial da doença, o secretário de Estado recomendou a observância das medidas de prevenção, como a lavagem das mãos com água e sabão ou a sua desinfecção com álcool em gel, uso de máscara nos locais públicos, distanciamento físico e a não violação das cercas sanitárias.

Neste momento, o quadro epidemiológico da pandemia no país apresenta 3.217 casos confirmados, sendo 130 mortes, 1.277 pacientes recuperados e 1.810 activos, incluindo três em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, 25 graves, 46 moderados, 48 com sintomas leves e 1.688 assintomáticos.

Os laboratórios de testagem por RT-PCR processaram  794 amostras, dos quais 125 positivas e 669 negativas. O registo cumulativo de amostras processadas é de 62.332, sendo 3.217 positivas e 59.115 negativas.

O secretário de Estado garantiu que serão processadas seis mil amostras por dia nos próximos dias, com a entrada em funcionamento do Centro de Diagnóstico Laboratorial de Viana, inaugurado esta quinta-feira, 10, pelo ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida. 

O centro, o maior do país, vai processar três mil amostras na base da biologia molecular e igual número de testes serológicos. 

As províncias do Huambo, Lunda Norte e Uíge vão ter um centro semelhante, com a capacidade de processar duas mil amostras por dia, aumentando o número de amostras processadas no país para mais de 12.900.

As equipas de saúde mental e intervenção psico-social assistiram 290 pessoas, sendo 183 utentes, 104 técnicos de saúde e três familiares de utentes. 

Nos centros de quarentena institucional estão 701 cidadãos e 39 tiveram alta, sendo 14 em Luanda, 19 em Cabinda e três em Benguela e Cuanza Sul, respectivamente.

Nas últimas 24 horas, 100 cidadãos recorreram aos serviços do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP). Um denunciou um caso suspeito e os restantes 99 solicitaram informação sobre a doença.