25 Outubro de 2020 | 09h10

HUAMBO E UÍGE COM LABORATÓRIOS

Angola regista mais dois óbitos e 197 infecções

Nas últimas 24 horas, mais duas pessoas morreram de COVID-19, 197 testaram positivo e 77 ficaram livres desta doença.

Os dois óbitos ocorreram na província Luanda, sendo um homem e uma mulher, de 66 e 68 anos. Na mesma província, 77 doentes foram recuperados da doença, segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, neste sábado, 24, em Luanda, no ponto informativo sobre a pandemia no país.

No grupo dos 197 novos infectados, composto por 125 do sexo masculino e 72 do sexo feminino, encontra-se um ancião de 100 anos, o mais velho de todos, e uma criança de um ano, a mais nova.

Entre estes, 26 foram identificados em Malanje, seis no Cunene, três no Cuando Cubango, dois no Uíge e 160 em Luanda, nas localidades de Belas, Ingombota, Cazenga, Talatona, Kilamba Kiaxi, Viana, Maianga, Icolo e Bengo, Rangel e Sambizanga.

O país passou a ter 9.026 casos positivos, dos quais 267 óbitos, 3.461 recuperados e 5.298 activos, sendo nove críticos, 21 graves, 122 moderados, 397 com sintomas leves e 4.749 assintomáticos.

O secretário de Estado informou que o número de doentes críticos têm estado aumentar de forma considerável, estando 86.9 por cento dos casos em Luanda, onde as medidas devem ser reforçadas pelos registos diários de casos positivos.

A redução de casos dependerá muito da consciência de cada cidadão, pois, caso contrário, haverá colapso do sistema da saúde, alertou Franco Mufinda.

Os laboratórios processaram 1.418 amostras na base da biologia molecular, dos quais 197 positivas e 1.221 negativas. O país já processou um total de 142.085 amostras, das quais 9.026 são positivas.

As autoridades registaram a saída de 19 pessoas nos centros de quarentena institucional, sendo 17 no Bié e duas no Zaire. Permanecem nestes centros 149 pessoas e 4.071 contactos directos e ocasionais dos casos positivos estão sob vigilância epidemiológica.

A equipa de saúde mental e de intervenção psico-social assistiu 337 pessoas, das quais 212 utentes e 125 técnicos de saúde, além de 61 famílias de utentes e 64 outras pessoas pelas linhas de apoio psicológico.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 143 pedidos de informação relacionada à COVID-19.

As províncias do Huambo e Uíge contam com um laboratório de biologia molecular, desde este sábado, com capacidade diária de processar 1.000 amostras por RT-PCR e igual número para o teste Elisa.

O laboratório da província do Huambo vai dar resposta à região Centro e Sul do país, enquanto o do Uíge vai atender parte da região Norte, segundo o secretário de Estado Franco Mufinda.