Governo
19 Junho de 2020 | 21h24

GOVERNADORA APELA À PROTECÇÃO DAS INFRASTRUTURAS DE ENERGIA ELÉCTRICA E ÁGUAS

A Governadora da Província do Huambo Lotti Nolika reconheceu os desafios a vencer nos sectores da energia elétrica e águas, e apelou a população a contribuir mais para a protecção das infraestruturas destes serviços essenciais à vida da população. A governante fez este pronunciamento no final da sua primeira visita, às empresas de Distribuição Nacional de Electricidade, ENDE, e de Águas e Saneamento do Huambo, EASH – Empresa Pública.

A Governadora da Província do Huambo Lotti Nolika reconheceu os desafios a vencer nos sectores da energia elétrica e águas, e apelou a população a contribuir mais para a protecção das infraestruturas destes serviços essenciais à vida da população. A governante fez este pronunciamento no final da sua primeira visita, às empresas de Distribuição Nacional de Electricidade, ENDE, e de Águas e Saneamento do Huambo, EASH – Empresa Pública.

Nas duas empresas Lotti Nolika manteve encontro com as respectivas direcções, tendo percorrido algumas áreas de serviços e conversado com os seus funcionários. O deficiente fornecimento de energia e águas nalgumas zonas da província preocupa a governante, que considera que projectos como o PIIM, Plano Integrado de Intervenção dos Municípios e outros traçados pelo Executivo, estão a mitigar essa carência junto das comunidades.

O director da ENDE, José Cunha, afirmou que a empresa que dirige está a intervir em localidades como Dango, onde cerca de 400 residências vão beneficiar dos serviços de electricidade. Os bairros de Belém do Huambo, e outros também constam das prioridades. José Cunha assegurou que no Cavongue, há já trabalho em curso, como colocação de postos e não só. A ideia é servir melhor a população. A ENDE Huambo tem um total de 82.636 clientes, nos seguimentos pré-pago, com 36.146 e pós-pago 48.247.

A EASH-EP dirigida pelo engenheiro Adolfo Elias Gomes tem por missão conceber, construir, explorar e gerir sistemas de abastecimento de água e saneamento de residuais, e defende valores como sustentabilidade, equilíbrio, promoção do bem-estar e equidade. O fornecimento e acesso a água potável rondam os 30% na província e 60% na sede. O roubo de equipamentos e outras razões contribuem significamente para esses indicadores. Mais investimento e sensibilização social recomendam-se.