Saúde
30 Abril de 2021 | 10h04

COVID-19

Luanda e Cabinda com maior taxa de transmissão

A província de Cabinda tem a segunda maior taxa de transmissão do país, na ordem de 0.3 por cento, depois de Luanda, o epicentro da doença, com 0.5 por cento. 

Os dados foram apresentados pelo médico e professor universitário, Pinto de Sousa, no ponto informativo sobre a COVID-19 desta quinta-feira, 29 de Abril.

Doutorado em Epidemiologia, Pinto de Sousa explicou que em Luanda, com uma taxa de transmissibilidade de 0.5 por cento, em cada dez infectados, cinco podem transmitir a outros. 

"A taxa de transmissão tem vindo a crescer, daí a importância de adopção de medidas, sobretudo, comportamentais, que influenciam na curva epidemiológica e no sistema de saúde. O comportamento é determinante e um factor decisivo”, realçou.

O médico disse que as províncias de Benguela, Cabinda, Zaire e do Huambo constituem maior preocupação, além da capital, por serem as que registam mais casos positivos e de violação de cerca sanitária.

Apesar de Luanda ter o maior número de óbitos, o estudo feito pelo especialista demonstrou que as províncias de Benguela, Cabinda, Huíla e Huambo começam a preocupar as autoridades nesse sentido, carecendo de maior atenção agora.

Porém, as províncias do Uíge e do Bengo são as que têm maior taxa de letalidade. "Nestas localidades a probabilidade de um indivíduo ir a óbito é muito elevada”, referiu.