Saúde
13 Setembro de 2020 | 12h09

Casos positivos aumentam em Luanda

Angola regista uma morte e 56 novos casos

O novo coronavírus fez mais uma vítima mortal, atingiu 56 novas pessoas e um paciente ficou recuperado da COVID-19 nas últimas 24 horas. 

A vítima é uma angolana de 78 anos e os novos  infectados são na sua maioria da província de Luanda, com um registo de 40 casos, identificados nas localidades de Viana, Samba, Ingombota, Kilamba Kiaxi, Viana, Sambizanga, Belas, Maianga e Talatona. Na província de Benguela foram registados 10 e seis na província do Huambo.

De acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, neste sábado, 12, no ponto informativo sobre a pandemia, os 56 infectados   estão na faixa etária dos sete a 74 anos,  sendo 38 do sexo masculino e 18 do sexo feminino.

Na estatística nacional constam 3.335 casos positivos, dos quais 132 óbitos, 1.281 pacientes recuperados e 1.914 activos, sendo quatro críticos com ventilação mecânica invasiva, 25 graves, 44 moderados, 62 com sintomas leves e 1.779 assintomáticos.

Nos diversos centros de tratamento do país encontram-se 430 pacientes e nos centros de quarentena institucional 667, também com um registo de 66 altas nas últimas 24 horas, sendo 40 em Luanda, 19 na Huíla, uma no Cuando Cubango e três nas províncias do Huambo e Lunda Sul.

Quanto à actividade laboratorial nas últimas 24 horas, houve o processamento de 421 amostras na base da biologia molecular, dos quais 56 positivas. Neste momento, os laboratórios contabilizam 63.151 exames processados, sendo 3.335 positivos. 

Franco Mufinda informou que o Centro de Diagnóstico Laboratorial de Viana está a ser preparado para o seu funcionamento em pleno. 

As equipas de saúde mental e de intervenção psico-social assistiram 265 pessoas, sendo 173 utentes, 84 técnicos de saúde e oito familiares de utentes.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) notificou 72 chamadas, sendo uma denúncia de caso suspeito e 71 pedidos de informação sobre a COVID-19.

As autoridades sanitárias controlam 4.759 contactos directos e ocasionais dos casos positivos. 

A nível do país, os centros de tratamento recebem  material de biossegurança, fazem vigilância epidemiológica, colheita de amostras e palestras de sensibilização para a prevenção da COVID-19 com a colaboração de jovens da sociedade civil. 

O secretário de Estado elogiou os jovens por se juntarem às iniciativas do Governo, que espera maior envolvimento da sociedade para cortar a cadeia de transmissão da COVID-19. 

Mais uma vez, Franco Mufinda aconselhou à  população ao cumprimento das medidas de prevenção e combate da pandemia.