18 Outubro de 2020 | 11h10

AUMENTAM MORTES POR COVID-19 NO PAÍS

Notificados 240 novos casos e 10 recuperados

Nas últimas 24 horas, sete cidadãos angolanos morreram de COVID-19, dos quais quatro na província de Luanda, dois em Benguela e um no Cuanza Sul. 
No mesmo dia, também foram registados 240 novos casos positivos de COVID-19, segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, que falava este sábado, 17, no ponto informativo sobre a pandemia. 

Os novos casos positivos foram diagnosticados em diversas províncias do país, sendo 21 em Benguela, oito no Cunene, oito no Zaire, um Huambo, Cuanza Norte, Malanje e Bengo, e 199 em Luanda, nas localidades de Belas, Cazenga, Cacuaco, Viana, Talatona, Maianga, Samba, Rangel e Kilamba Kiaxi. Deste grupo, 123 são do sexo masculino e 117 do sexo feminino, com idades entre um mês e 84 anos. 
Franco Mufinda informou ainda que 10 pessoas recuperaram da doença, na província de Luanda.

No quadro epidemiológico há um total de 7.462 casos positivos, dos quais 241 óbitos, 3.022 recuperados e 4.199 activos. Entre os activos, 12 estão críticos, 20 graves, 103 moderados, 412 leves e 3.652 assintomáticos.
Nos centros de tratamento da COVID-19, 590 pacientes estão internados e outras 359 permanecem nos centros de quarentena institucional, que registaram 13 altas nas últimas 24 horas, sendo oito na província do Bié e cinco em Benguela.

As autoridades sanitárias também controlam 4.071 contactos directos e ocasionais dos casos positivos.

Os laboratórios processaram 2.324 amostras e deste número 240 foram positivas. O registo acumulado de amostras processadas é de 131.151 , sendo 7.462  positivas.
O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 144 chamadas para pedidos de informação relacionada à COVID-19.

A equipa de saúde mental e de intervenção psico-social assistiu, nas últimas 24 horas, 240 pessoas, das quais 102 utentes e 138 profissionais de saúde. Ainda neste período, a mesma equipa prestou apoio psicólogo a 40 pessoas via telefónica, pelas linhas de atendimento 144 e 145.

Franco Mufinda voltou a aconselhar aos cidadãos a procurar unidades sanitárias mais próximas, sempre que tiverem qualquer sintoma suspeito como febre, tosse, dor de cabeça, irritação na garganta, perda do  paladar e do olfato, dores articulares e musculares,  ou diarreia, de forma a evitar o aumento de óbitos registados nos últimos dias.