Saúde
09 Setembro de 2020 | 08h09

Angola notifica 52 novos casos

COVID-19 mata mais quatro angolanos

Quatro angolanos, todos do sexo masculino, com idades entre 54 e 66 anos, morreram de COVID-19 nas últimas 24 horas. No mesmo período, as autoridades sanitárias notificaram mais 52 casos positivos. Não houve recuperação de pacientes da doença.

Dos 52 novos casos, cinco foram detectados na província de Cabinda, quatro em Benguela, três no Bié, dois no Zaire, um no Cunene e Huambo e 36 em Luanda, nas localidades de Viana, Talatona, Belas, Kilamba Kiaxi, Maianga, Sambizanga e Ingombota. 

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, na actualização dos dados da COVID-19 nesta terça-feira, 8 de Setembro, disse que um bebé de um mês de vida é o mais novo entre os infectados e, um ancião de 81 anos, o mais velho do grupo, com 32 homens e 20 mulheres.

Angola contabiliza 3.033 casos positivos, dos quais 124 óbitos, 1.215 recuperados e 1.694 activos, em que se destacam três críticos com ventilação mecânica invasiva, 19 graves, 48 moderados, 44 com sintomas leves e 1.580 assintomáticos. 

Neste momento, 384 pacientes encontram-se em centros de tratamento e os restantes em isolamento domiciliar, a serem acompanhados pelas equipas médicas.

Nas últimas 24 horas, os laboratórios processaram 394 amostras na base da biologia molecular, das quais 52 positivas e 342 negativas. Desde o início da pandemia, foram processadas 60.966 amostras, sendo 3.033 positivas.

As equipas de saúde mental e de intervenção psicossocial assistiram 210 pessoas, das quais 82 utentes, 123 técnicos de saúde e cinco famílias de utentes das unidades sanitárias.

Os centros de quarentena institucional controlam 522 pessoas e 36 tiveram alta, sendo 15 em Luanda, nove em Cabinda, cinco no Cuando Cubango, quatro em Benguela e três na Huila.

No quadro estatístico, mantêm-se sob controlo das autoridades sanitárias 4.756 contactos directos e ocasionais dos casos positivos. 

Fora de Luanda, as demais províncias realizaram  rastreios nos pontos de entrada, palestras, formação de técnicos de saúde sobre gestão de casos da COVID-19. 

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 89 chamadas, das quais duas denúncias de casos suspeitos e 87 pedidos de informação relacionados à COVID-19.

Nesta segunda-feira, 77 passageiros que cumpriram a quarentena domiciliar foram testados e cinco tiveram resultados reactivos. No caso dos camionistas, 503 realizaram o exame na Escola Nacional de Saúde Pública e 34 manifestaram-se reactivos.

O secretário de Estado reiterou o apelo para o cumprimento dos cuidados de prevenção e combate à COVID-19 para cortar a cadeia de transmissão.