Governo
29 Julho de 2021 | 09h07

ANGOLA ATINGE MIL MORTES POR COVID-19

Lunda Norte regista mais casos positivos em dias consecutivos

COVID-19 originou seis óbitos, atingiu 178 novas pessoas e 222 ficaram recuperadas da doença nas últimas 24 horas.

As vítimas, duas do sexo masculino e quatro do feminino, com idades entre 29 e 80 anos, foram registadas duas na província do Moxico, uma na Huíla, Cunene, Lunda Norte e Lunda Sul, respectivamente.

Com estes dados, o número total de  óbitos elevou-se para mil desde o início da pandemia no país, de acordo com o boletim epidemiológico da Direcção Nacional de Saúde Pública, divulgado esta quarta-feira, 28 de Julho.

A província da Lunda Norte reportou 86 dos 178 novos casos das últimas 24 horas e marcou dois dias consecutivos com maior número de casos no país. Nas posições seguintes estão as províncias de Luanda com 27, Cunene com 22, Moxico dez, Huíla oito, Benguela sete, Huambo seis, Lunda Sul cinco, Zaire três, Cabinda dois, Cuanza Norte e Uíge com um caso cada. Estes infectados, na faixa etária de um mês a 87 anos, são 84 do sexo masculino e 94 do feminino.

Os 222 pacientes recuperados estão na faixa etária de um a 80 anos, sendo 126 em Luanda, 28 no Huambo, 24 no Cuando Cubango, 22 em Benguela, 12 no Cunene, cinco no Cuanza Sul, três no Zaire, um no Bié e na Huíla, respectivamente.

Os laboratórios testagem processaram 2.710 amostras por RT-PCR e o registo cumulativo ascendeu para 805.156 amostras processadas. A taxa de positividade de 5.3 por cento.

Nos pontos de entrada e saída da província de Luanda foram testados 378 viajantes. 

O quadro geral da pandemia no país indica 42.288 casos positivos de COVID-19, incluindo 35.964 recuperados, 1.000 óbitos e 5.324 activos, dos quais dois em estado crítico, 12 graves, 87 moderados, 36 leves e o restante permanece assintomático.

Nos centros de tratamento estão internados 137 infectados e outros 144 são acompanhados nos centros de quarentena institucional. Há ainda 2.646 contactos directos e ocasionais de casos positivos sob vigilância epidemiológica.