Portal Oficial do Governo da República de Angola
Saúde

COVID-19: Dois novos casos entram em tratamento

A médica cubana que testou positivo no mês de Abril está recuperada, mas dois novos casos positivos foram registados nas últimas 24 horas.


Os novos infectados são uma angolana de 25 anos, residente no Kilamba Kiaxi, e um cidadão guineense com a mesma idade, residente no Hoji-Ya-Henda. Ambos cumpriam a quarentena institucional, quando foram testados, e agora se encontram internados a receber o devido tratamento.



Os casos positivos são agora 60, dos quais 39 activos, 18 recuperados e 3 óbitos. Do total de casos positivos, 32 são de transmissão local e 28 importados de Portugal e Cuba.



O secretário de Estado para Saúde Pública, Franco Mufinda, no ponto informativo sobre a COVID-19 desta quinta-feira, 21, disse que o número de casos positivos revela que Angola está muito aquém da projecção da Organização Mundial da Saúde, que previu para este período a existência de mais de 4.000 casos positivos e 10.000 até ao final do mês de Julho.



Nesta época de cacimbo, Franco Mufinda informou que estão a ser realizados ensaios comunitários com a colheita de amostras em grupos de risco e que vão monitorar sobretudo os pacientes com infecções respiratórias agudas.



O Instituto Nacional de Investigação em Saúde atingiu a cifra de 6.880 amostras colhidas, das quais 60 positivas, 6.482 negativas e 338 em processamento.



Das 300 amostras colhidas no bairro Futungo, em Luanda, 174 já foram processadas, seis das quais tiveram resultado positivo.



Nas últimas 24 horas, o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 45 chamadas para pedidos de informação sobre a pandemia.



Os centros de quarentena institucional acolhem 1.077 cidadãos. Na província de Cabinda cinco cidadãos receberam alta, no Uíge dois, em Malanje um e no Huambo dois cidadãos.



Os casos suspeitos investigados totalizam 449 e os contactos sob vigilância 1.194 casos.



Nesta quinta-feira, o Governo recebeu mais de 25 toneladas de material de biossegurança adquiridos na China e parte da mercadoria foi enviada para a Cabinda. Nesta província estão em seguimento sete casos suspeitos e a ser capacitados estudantes de enfermagem sobre vigilância epidemiológica e laboratorial, e gestão de casos de COVID-19.



Nas demais províncias são desenvolvidas várias acções, como colheita de amostras de casos suspeitos, palestra de sensibilização e capacitação de profissionais de saúde em cuidados intensivos sobre as medidas de prevenção e combate à pandemia.



Franco Mufinda apelou à serenidade por parte da população, não obstante o aumento de casos positivos e ao cumprimento das medidas de prevenção e combate à COVID-19, como o distanciamento físico, o uso de máscara, lavagem frequente das mãos e principalmente a permanência em casa.