Portal Oficial do Governo da República de Angola
Economia

Executivo garante qualidade na produção industrial local

O secretário de Estado da Indústria, Ivan do Prado, afirmou esta quarta-feira, 12, em Luanda, que a indústria nacional é, em muitas situações, capaz de competir com produtos importados, apresentar bons índices de competitividade e de qualid... Ver mais


Falando na cerimónia de abertura da IV Edição da Expo Indústria 2019, perante o Presidente da República, João Lourenço, e o Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, ministros de Estado, ministros e uma sala repleta de empresários e industriais nacionais e estrangeiros, Ivan Prado salientou que a indústria contribui progressivamente para a substituição de importações e poupança de divisas.



Para o efeito, lembrou, está a contribuir uma indústria transformadora tecnologicamente desenvolvida e competitiva com capacidade para apresentar bons índices em muitos dos seus subsectores, além da capacidade de fazer em Angola produtos de qualidade que respondam às necessidades do mercado.



A justificar a afirmação, Ivan do Prado mencionou um conjunto de produtos que o sector alimentar tem conseguido fabricar no país e, em muitos casos, com matéria-prima local, com realce para a farinha de trigo, fuba de milho, bolachas, iogurtes e massas alimentares. O secretário de Estado mencionou ainda o sector das bebidas e dos materiais de construção nos vários segmentos, como prova de que a indústria nacional vai-se tornando pouco a pouco competitiva, afirmando que Angola começa a ser sinónimo de indústria.



“Esta indústria é, por si só, sinónimo de qualidade e de inovação, bem como capacidade de resposta e de compromisso", disse Ivan do Prado, que deixou claro que ser industrial, em Angola, é, também, “sinónimo de capacidade de luta, abnegação e de uma vontade férrea de contribuir para fazer o país caminhar.”



O secretário de Estado falou dos esforços do Executivo na melhoria do cenário económico nacional e do ambiente de negócios, com destaque para a aprovação da Pauta Aduaneira, cujo escopo é promover a produção nacional.



Impulso do Presidente



O secretário de Estado deixou expresso que a presença do Presidente João Lourenço no evento foi “reveladora da importância e atenção que tem dedicado à indústria transformadora como factor decisivo para o desenvolvimento económico do país.” Ivan do Prado realçou que a IV Edição é a melhor da Expo Indústria, não só em espaço, como pelo número de empresas a participar e da diversidade de actividades industriais representadas.



Por este facto, o responsável agradeceu a todas as empresas que estão a tornar o evento uma realidade empresarial do país e a colaborar no desenvolvimento da economia nacional.



“Todos juntos poderemos lutar para fazer crescer Angola e atingir os níveis de bem-estar e de desenvolvimento do povo angolano de Cabinda ao Cunene”, disse o secretário de Estado da Indústria, Ivan do Prado.



Contacto directo com expositores



O Presidente da República, João Lourenço, chegou à Zona Económica Especial (ZEE), acompanhado da Primeira-Dama da República, Ana Dias Lourenço, às 10h00, hora prevista pela organização para abertura do evento.



Depois dos tradicionais discursos de circunstância, João Lourenço procedeu ao corte da fita, simbolizando a abertura do Salão de Exposição do potencial industrial de Angola, um espaço de 28 mil metros quadrados.



Depois do corte de fita, o Presidente da República e o Vice-Presidente da República visitaram demoradamente as empresas expositoras durante mais de duas horas, no pavilhão que conta com empresas nacionais de Luanda, Huambo, Benguela, Malanje, Huíla e Bengo.



De “stand” a “stand”, João Lourenço teve, na maior parte das vezes, uma conversa com os expositores e, noutras, ouviu mais as explicações dadas pelos expositores. Com uma expressiva participação de empresas chinesas no sector imobiliário e da indústria transformadora, seguidas de nacionais com grande peso nos segmentos da construção civil, alimentação, banca, sector têxtil, cosméticos, minas e siderurgia, a Expo Indústria 2019 cresceu não só em número de participantes, mas também em qualidade e diversidade.



Maior parque industrial



O governador de Luanda, Sérgio Luther Rascova, lembrou que "o certame é uma prova inequívoca do trabalho e abnegação de várias empresas, que com firmeza, mantêm a dinâmica funcional, acreditam no potencial económico de Angola e, por isso, investem, criando emprego e renda, num sector decisivo e desafiante."



Sérgio Luther Rascova lembrou, ainda, que, nos últimos tempos, Luanda tem acolhido muitos eventos de promoção de negócios com elevada qualidade e organização, sendo "a província com o maior número de indústrias em Angola, contando com a primeira ZEE, que reúne as premissas para alavancar a actividade industrial."



O governador reiterou o firme compromisso de contribuir na realização, com sucesso, de eventos com finalidades iguais ou equiparadas à feira.



JA