Portal Oficial do Governo da República de Angola
Governo

Visita do Presidente ao Qatar atingiu os objectivos traçados

A visita de Estado do Presidente da Republica, João Lourenço, ao Qatar atingiu os objectivos preconizados, garantiu domingo, 8, em Doha, o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto.


Ao fazer o balanço da visita de dois dias do Presidente a este país do Médio Oriente, Manuel Augusto referiu que a mesma permitiu o início de um “novo ciclo nas relações entre os dois Estados”.



“Esta visita, curta no espaço temporal, mas muito intensa pelo nível de contactos estabelecidos, permitiu-nos confirmar que temos, no Qatar, um parceiro sério, um potencial parceiro para acelerar o nosso desenvolvimento. E tudo faremos para que os operadores económicos dos dois países, suportados pelos respectivos governos, possam realizar projectos com vantagens mútuas”, sublinhou.



Segundo o ministro, Angola e o Qatar têm relações já há alguns anos, mas elas nunca foram traduzidas em termos de cooperação económica em acções concretas. Há similaridades entre o Qatar e Angola, frisou, sendo a mais visível o facto de ambos serem países produtores e exportadores de petróleo e gás.



O ministro reconheceu, contudo, que há, também, diferenças muito grandes entre os dois países, tendo em conta o resultado da utilização das receitas do petróleo.



O Qatar soube e continua a saber usar as receitas petrolíferas para gerar desenvolvimento, prosperidade, coisa que nós queremos fazer, salientou.



“Não nos interessará muito agora escapelizar as razões pelas quais não o fizemos, mas queremos alinhar com as melhores práticas internacionais, para podermos, também, usar os nossos recursos petrolíferos como fonte de desenvolvimento e, sobretudo, como motor para a diversificação da nossa economia”, disse.



Durante a visita de dois dias, o Presidente da República reuniu-se com o Emir do Qatar, Sheikh Tamim bin Hamad Al-Thani, que mostrou a maior abertura e vontade de incentivar os empresários qataris para desembarcarem em Angola com toda a força e investirem nos mais diferentes ramos da economia.



No final do encontro foram assinados seis acordos de cooperação. Trata-se do acordo sobre "Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos", assente no desenvolvimento económico sustentável das partes, o "Protocolo para o Estabelecimento de Mecanismos de Consultas Políticas", para reforçar a cooperação entre os Estados na partilha e harmonização das posições sobre questões bilaterais, regionais, continentais e internacionais.



Foram, igualmente, rubricados o "Acordo de Supressão de Vistos em Passaportes Diplomáticos e Especial", bem como o acordo no domínio da "Marinha Mercante" e o acordo de "Cooperação Económica, Comercial e Técnica".



Este último visa criar as bases de cooperação económica, comercial e técnica entre as partes nos sectores da Indústria, Minas, Energia, Agricultura, Comunicações, Transportes, Construção, Trabalho e Turismo.



Finalmente, foi rubricado o "Memorando de Entendimento entre a Empresa de Gestão de Portos do Qatar (Mwani) e o Instituto Marítimo Portuário de Angola (IMPA)" para cooperação entre as entidades portuárias dos dois países e a respectiva gestão dos sistemas portuários.



O Presidente João Lourenço teve um jantar de trabalho com o vice-Primeiro-Ministro do Qatar, Sheikh Mohammed bin Abdulalraman Al Thani.



Visitou várias instituições como a Fundação Qatar, criada em 1995, que desenvolve projectos no sector da Educação, Ciência e Tecnologias, trazendo ao país filiais de universidades estrangeiras de renome.



O Chefe de Estado visitou, igualmente, a Biblioteca desta instituição, que tem mais de um milhão de livros.



João Lourenço percorreu demoradamente o Museu Nacional do Qatar, uma estrutura moderna inaugurada no princípio deste ano, junto à marginal de Doha e no final assinou o livro de honra.



O Museu narra o percurso histórico e cultural do Qatar, nas suas mais variadas facetas, com várias exposições permanentes e projecções em telas.



O Chefe de Estado visitou o estádio Al Wakra, um dos oito que vão acolher o Mundial de Futebol de 2022.



No final da visita, João Lourenço reuniu-se com representantes da Câmara de Comércio e da Zona Franca do Qatar, que mostraram interesse em visitar Angola para conhecer de perto as oportunidades de negócio que oferece.



Jornal de Angola