Portal Oficial do Governo da República de Angola
Governo

Angola e Qatar assinam acordos de cooperação

Angola e Qatar, dois países produtores de petróleo, assinaram neste domingo, 8, no Palácio Real do Emir, em Doha, seis acordos de interesse comum que marcam nova etapa de cooperação económica em diversos sectores.


Na presença do Presidente da República, João Lourenço, e do sheik Tamim bin Hamad Al-Thani, emir do estado do Qatar, foi rubricado o acordo entre os governos de Angola e deste país árabe sobre "Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos", assente no desenvolvimento económico sustentável das partes.



 Os dois países concordaram igualmente com o "Protocolo para o Estabelecimento de Mecanismos de Consultas Políticas", para reforçar a cooperação entre os estados na partilha e harmonização das posições sobre questões bilaterais, regionais, continentais e internacionais.



Com vista a consolidar e fortalecer a cooperação entre os dois governos e facilitar a mobilidade dos seus cidadãos titulares de passaportes diplomáticos e especial, assinou-se "Acordo de Supressão de Vistos em Passaportes Diplomáticos e Especial". Criado para estabelecer a cooperação bilateral no domínio da "Marinha Mercante", Angola e Qatar, a partir de hoje, são parceiros, num dia em que também foi selado o de "Cooperação Económica, Comercial e Técnica".



Este mais abrangente visa criar as bases de cooperação económica, comercial e técnica entre as partes nos sectores da Indústria, Minas, Energia, Agricultura, Comunicações, Transportes, Construção, Trabalho e Turismo.



Destaca-se ainda o "Memorando de Entendimento entre a Empresa de Gestão de Portos do Qatar (Mwani) e o Instituto Marítimo Portuário de Angola (IMPA)" para cooperação entre as entidades portuárias dos dois países e a respectiva gestão dos sistemas portuários.



Este "pequeno gigante" de dois milhões e 710 habitantes, líder mundial no PIB per capita (129.112 dólares por pessoa), tem no petróleo, gás natural e investimentos no mercado financeiro as suas principais fontes de riqueza, pelo que Angola pretende tirar o máximo proveito da experiência.



Angop