Portal Oficial do Governo da República de Angola
Governo

Parlamento vota Proposta de Lei do novo Código Penal

As propostas de Lei do novo Código Penal, do Regime Jurídico de Estrangeiros em Angola e sobre Liberdade de Religião, Crença e Culto vão esta quarta-feira, 23, em Luanda, à votação final global na reunião plenária da Assembleia.


Aprovada ainda este mês, por unanimidade, na especialidade, a Proposta do novo Código Penal contém 475 artigos e cria as premissas necessárias para a salvaguarda dos direitos humanos, respeito pela dignidade da pessoa humana e garantia das liberdades fundamentais dos cidadãos. O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, enalteceu o trabalho realizado pelos parlamentares que culminou com aprovação do documento que é hoje votado de forma global. 



“O relatório que foi apresentado reflecte o trabalho de aperfeiçoamento e enriquecimento do texto do Código Penal”, realçou o ministro, depois da votação na especialidade.



Francisco Queiroz recordou que durante a discussão do documento os deputados sugeriram o agravamento de algumas molduras penais, sendo que a pena máxima de prisão fixada em 25 anos, pode chegar a 35 anos, em caso de cumulação penal.



O presidente do grupo parlamentar do MPLA, Américo Cuononoca, considerou que a Proposta de Lei do novo Código Penal tem mais valências e respeita a identidade nacional. O Código Penal vigente, considerou, tem muitos pressupostos de carácter colonial e não se coadunava com a cultura nacional.



“Agora, vamos ter uma lei (mais) nacional que respeita a identidade nacional e alguns pressupostos relativos à nossa cultura e idiossincrasia”, sublinhou Américo Cuononoca, que considerou também necessário colocar balizas sobre a proliferação de confissões religiosas no país.



A plenária de hoje vai, também, apreciar e votar, na generalidade, cinco diplomas legais, nomeadamente as Propostas de Lei do Código de Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), do Código do Imposto Especial de Consumo (IEC), de Alteração ao Código de Imposto sobre os Rendimentos do Trabalho (IRT) e Lei de Alteração ao Código do Imposto industrial. Consta igualmente da agenda a apreciação, na generalidade, da Proposta de Lei sobre a Organização, Exercício e Funcionamento das Actividades de Comércio Ambulante, Feirante e de Bancada de Mercado.



Autorizações ao Presidente



Na agenda constam, ainda, três propostas de autorizações legislativas que permitem ao Presidente da República, enquanto Titular do Poder Executivo, legislar sobre o Regime Jurídico do Papel Comercial, sobre o Regime Jurídico dos Fundos de Garantia das Sociedades Gestoras de Mercados Regulamentados e de Câmaras de Compensação de Contraparte Central e de Sistemas Centralizados de Valores Mobiliários.



O Projecto de Lei de autorização Legislativa sobre os Princípios Gerais Relativos à Organização e Aplicação da Estrutura Indiciária das Tabelas Salariais e dos Subsídios ou Suplementos Remuneratórios da Função Pública, consta igualmente da agenda.



Nessa reunião, a Assembleia Nacional vai, igualmente, apreciar três projectos de resolução que visam a ratificação de instrumentos internacionais para a eliminação da dupla tributação em matéria de imposto sobre o rendimento e prevenir a fraude e evasão fiscal, celebrados entre Angola e países como Portugal, Emirados Árabes Unidos e China.



Jornal de Angola