Portal Oficial do Governo da República de Angola
Governo

Embaixadores convidados ajudar na divulgação da imagem de Angola

O Presidente da República, João Lourenço, pediu esta sexta-feira, 18, em Luanda, o apoio dos embaixadores acreditados no país na divulgação da imagem da nova Angola.


Ao discursar na cerimónia de cumprimentos de Ano Novo do corpo diplomático, João Lourenço salientou que o combate à corrupção e o  processo de credibilização do Estado são tarefas contínuas.



Acrescentou que Angola é hoje um país mais aberto ao investimento privado. O Chefe de Estado lembrou que, no ano transacto, foi desenvolvida uma diplomacia activa, com um pendor económico muito forte que possibilitou a captação de investimentos e o aumento  do interesse de novos investidores privados.



“Hoje é convicção geral de que a impunidade em relação às práticas lesivas ao erário tem os dias contados, o que tem  contribuído para uma mudança da imagem de Angola, a nível interno e internacional”, disse  o Chefe de Estado.



O Presidente da República, João Lourenço, pediu nesta sexta-feira, 18, em Luanda, aos embaixadores e chefes de missões diplomáticas, representantes de organizações internacionais e demais entidades a ajudarem a divulgar, junto da comunidade internacional, a nova imagem de Angola.



Num discurso dirigido a 92 entidades, dos quais 53 embaixadores, 24 cônsules, quatro encarregados de negócios e dez representantes de organizações internacionais, o Presidente João Lourenço disse que gostaria que os diplomatas ajudassem a divulgar a nova imagem de uma Angola mais aberta e receptiva ao investimento privado nas suas múltiplas vertentes. 



No Salão Nobre do Palácio Presidencial da Cidade Alta, João Lourenço assegurou que o Executivo vai dar seguimento às políticas que visam a credibilização das instituições do Estado, mantendo-se a luta contra a corrupção e outros males que enfermam a sociedade.



“Hoje já é convicção geral de que a impunidade em relação a práticas lesivas ao erário público tem os dias contados, o que tem vindo a contribuir para uma mudança da imagem de Angola ao nível interno e internacional”, lembrou o Chefe de Estado.  



Uma demonstração clara da confiança criada junto das instituições internacionais, disse,  foi o acordo assinado com o Fundo Monetário Internacional (FMI), enfatizando que o combate contra a corrupção e o consequente processo de credibilização do Estado é um processo contínuo.



“Vamos continuar a trabalhar para recuperar a nossa economia e para encontrar os caminhos que nos levem a uma efectiva diversificação económica”, realçou João Lourenço. 



Ao iniciar o discurso, o Chefe de Estado agradeceu as palavras do embaixador da Palestina, Najah Abdul Rahman, decano do Corpo Diplomático, lembrando que no ano transacto o país teve a oportunidade de desenvolver uma diplomacia activa com um pendor económico muito forte, o que possibilitou a captação de vários investimentos e o aumento exponencial do interesse de muitos investidores pelo mercado angolano. 



Jornal de Angola